Em Roma

by - 11 dezembro

Tenho um fascínio por Itália desde que me lembro. Quando vim estudar para Milão, desejava que tivesse tempo para visitar algumas das cidades que me faziam sonhar - Florença, Veneza e Roma. As primeiras duas já visitei e já me encantei por elas, tal como previa. Podem ver Florença por aqui, e a bela Veneza por aqui. Falta-me a cidade das cidades, a mais bonita e a que mais entusiasmo me provocava. Roma! Não podia voltar a Portugal com Roma por ver. Assim foi.
Não tinha aulas de 6 a 11 de dezembro por causa de um feriado e a proximidade com o fim de semana, portanto acumularam-se dias livres numa altura perfeita para visitar a cidade e decidi ir de 7 a 10 de dezembro. Uma vez mais, optei por fazer a viagem de comboio. Cada vez me convenço mais que é mesmo a melhor maneira de percorrer Itália. Não é a maneira mais económica, mas é a mais cómoda e rápida e por isso ganha a minha preferência em relação a viagens de autocarro. Paguei 96€ ida/volta graças aos descontos da Carta Freccia, o que não me pareceu, de todo, um preço exagerado, tendo em conta que o comboio me deixava exactamente onde pretendia e não tinha de apanhar nenhum shuttle ou algo que se pareça.
Para as dormidas, optei por um hostel. Usei o booking para encontrar um em conta e perto da estação Roma Termini, o que se revelou muito fácil. Acabei por ficar no Freedom Traveller Hostel, na Via Gaeta, a cerca de 5 minutos a pé da estação, e por 3 noites num dormitório feminino paguei 46€ + taxas de dormida por noite, o que, ao todo, ficou apenas por 57€.
O entusiasmo era mesmo muito. Saí na estação Roma Termini que é, no fundo, a estação central da cidade. Está muito bem localizada, todos os comboios param lá e a estação terminal dos autocarros também se concentra lá, o que me facilitou imenso a vida tendo em conta que o hostel era muito perto da estação e sempre que queria ir para casa encontrava um autocarro cujo destino era Termini. 
Para tornar a viagem mais cómoda, adquiri o Roma Pass 48h por 28€. Inclui um museu grátis - desde que não seja do Vaticano -, descontos nos restantes museus e viagens nos transportes públicos durante essas 48h. Relativamente ao museu grátis, optei por escolher o pack Coliseu + Fórum Romano, que valeu imenso a pena. O Roma Pass dá-nos a regalia de poder passar à frente na fila enorme de turistas o que, honestamente, me deu um leve empurrãozinho na decisão de comprar ou não este pass. Relativamente aos transportes, quando não andávamos a pé, usávamos o autocarro para longas distâncias. 
Fiquei por quatro dias. Três dias é pouco para ver Roma, mas quatro já temos de fazer tempo até à hora de ir embora. Tive a sorte de apanhar uns dias solarengos e bonitos, mas nem assim menos frios. Com o dias tão bonitos, difícil mesmo era parar de somar disparos desta cidade. Há sempre algo bonito por perto, mais que não seja um edifício com pormenores delicados.
Mais tarde farei um post sobre cada monumento que visitei, que as fotografias são muitas para um só post e tudo naquela cidade merece o seu devido destaque. Por agora, fiquem com o cliché, que é um cliché lindo de morrer e dá-nos fotografias dignas de postal, tal é a sumptuosidade de Roma.

You May Also Like

1 comentários