A primeira impressão

by - 30 setembro

Buonasera! 

Estamos efectivamente instaladas (eu e a Carol, a minha roomate) e agora sim, posso começar a viver a minha experiência erasmus a sério. Quando escolhi Milão, apressaram-se a avisar-me que "os italianos são muito mal educados com pessoas de fora, os milaneses ainda mais!". Escolha feita, acertada ou não, e cá estou eu para vos avisar que é tudo mentira. Os italianos são bem educados, simpáticos e acessíveis aos turistas. Estou há cinco dias por cá e ainda não tive uma única razão de queixa deles - a não ser que abusam do perfume.



Ainda não saímos de casa com um destino fixo e, por isso, as fotografias são por enquanto de coisas e locais aleatórios onde passamos sem querer quando vamos em busca de algum sítio (normalmente para tratar de papeladas). 

Passámos já pela parte nova da cidade de Milão num passo muito acelerado de quem tinha horários a cumprir mas deu para ver ao longe o famoso Bosco Verticale e alguns dos arranha céus que têm vindo a marcar presença na skyline de Milão. Prometemos voltar lá e eu prometo que falarei desta parte nova da cidade mais em detalhe quando passar por lá com tempo e olhos de ver.












Coisas a reter sobre os milaneses e italianos no geral

  • A condução não é o forte deles e os peões são a menor das suas preocupações. Atravessar a estrada por aqui é um desafio e é comum ver carros estacionados de maneiras que não lembram a ninguém.
  • São todos muito simpáticos, mas nada de inglês. Tudo aqui é dobrado para italiano, até os cinemas.
  • O pão não é a melhor das coisas para comer aqui. Há de todas as formas e feitios, mas nenhum tão bom como os pães de Portugal.
  • A massa - claro! - é mesmo o forte deles, mas são mesmo as pizzarias que se encontram em cada esquina e aos pares.
  • A pontualidade só existe no metro. Autocarros e comboios estão sempre atrasados.
  • Há bicicletas e trotinetes por todo o lado, mas também eles não se preocupam muito com os peões.
  • Não existem filas únicas. Literalmente, as filas são "tudo ao molho e fé em Deus!"
  • Pedir um café aqui não serve. Há mais de uma dúzia de maneiras de servir o café, todas com o seu nome específico. Macchiato freddo, macchiatone, coretto, cappucino, mocaccino (...) e não acaba!
  • Esta cidade - e país, suponho - só tem gente elegante e bem cheirosa.
  • Não há estendais nas fachadas principais dos edifícios. Todos os estendais têm de estar virados para o interior do quarteirão o que, no fundo, é querido e perfeitamente perceptível, mas convenhamos, quem não achava piada à bela cueca branca no estendal português? 

You May Also Like

1 comentários

  1. Essa de não se preocuparem com os peões é que mete medo e não haver filas.. já me tinha passado ahah.

    ResponderEliminar